Scarlett Johansson foi uma das primeiras, mas não foi a última celebridade a sofrer as consequências do roubo de fotos pessoais do seu smartphone. A vítima mais recente é a famosa atriz da aclamada série Mad Men, Christina Hendricks, que viu publicadas na Internet fotos suas em roupa interior. Este caso volta a pôr em causa a segurança dos smartphones e evidencia a necessidade de integrar soluções de segurança nestes dispositivos. Já existem produtos no mercado, como o Kaspersky Mobile Security, que permitem bloquear o telefone e eliminar seu conteúdo de forma remota; assim, em caso de roubo, os dados pessoais e fotos estão a salvo dos delinquentes.
 A Kaspersky Lab está preocupada com a escalada do spam e vem sublinhar a importância de definir o que é concretamente esta forma de ataque à segurança dos utilizadores.

Os números falam por si só: 250 mil milhões de mensagens de spam são enviadas todos os dias. Quando falamos em spam, a primeira coisa que nos vem à mente são as mensagens que falam sobre Viagra, cartas nigerianas e outras fraudes similares que entopem a caixa de correio e reduzem a actividade diária do email. Mas o spam é bem mais do que isto - trata-se, na verdade, de uma parte crucial do ecossistema do cibercrime.
 A data preferida dos apaixonados está mais uma vez de volta, com a mesma ternura de sempre. O que tem mudado – e muito - são as formas de encontrar e demonstrar esse amor. Não é preciso recuar muito no tempo para recordar os cartões postais com corações, as cartas de amor ou as esperas em frente ao telefone fixo pelo telefonema da pessoa amada.

A tecnologia tem mudado as nossas vidas e também a nossa forma de partilharmos afetos: e-cards digitais de felicitações, flores compradas pela Internet; fotos e músicas dedicadas à pessoa amada postadas em redes sociais; whatsapps, SMS e emails de amor enviados de smartphones e tablets de última geração…O amor está a tornar-se cada vez mais digital e, consequentemente, a tornar-se mais apetecível para os cibercriminosos.
 A Internet e o correio electrónico são as principais fontes de roubos de informação pessoal, que muitas vezes geram importantes perdas económicas

Hoje, dia 28 de Janeiro, celebra-se no Dia Europeu da Protecção de Dados cujo objectivo é impulsionar o conhecimento dos direitos em matéria de protecção de dados - físicos e virtuais -, divulgar o bom uso da informação pessoal e fomentar as práticas respeitosas. Os dados são o bem mais cobiçado pelos cibercriminosos do Século XXI, pelo que é de vital importância saber como os proteger.
A ausência de uma legislação Sample Imageespecífica internacional capaz de pôr fim ao cibercrime permite que hackers operem de forma impune em países como o Brasil.

A Kaspersky Lab acaba de descobrir que, com o propósito de ajudar novos potenciais cibercriminosos a fazer carreira, alguns hackers brasileiros estão a oferecer cursos de formação pagos, tanto em versão online como presencial.

A criação desta escola de cibercrime no Brasil tem como objectivo oferecer os conhecimentos e capacidades técnicas necessários para que os hackers possam dar início a uma carreira de sucesso no mundo do cibercrime.
 Há alguns anos atrás, as aplicações informáticas de produtividade não tinham nada a ver com as que utilizamos hoje. Cada aplicação era desenvolvida por um fabricante diferente, e só em muitos poucos casos havia a possibilidade de exportar dados de uma aplicação.

Por exemplo, um dos processos mais complicados era realizar uma acção de mailing postal (há 20 anos atrás o conceito de emailing ainda era demasiado futurista). Era necessário utilizar dados do dBase III num documento do WordPerfect 4.2, que incluia um gráfico criado com o Harvard Graphics 3.0 de acordo com os dados armazenados numa folha de cálculo do Lotus 1-2-3 3.0. Quem tenha passado por um processo deste tipo, ou mesmo ficado apenas pela tentativa, certamente se recordará do nível de stress e complexidade envolvidos.
 A Kaspersky Lab faz o balanço ao ano 2011 e diz o que nos espera em 2012, no que se refere à área da segurança.

E isto porque os peritos da Kaspersky Lab acreditam que é preciso olhar para trás para encontrar as armas certas para enfrentar as ameaças de segurança que o ano que agora começa nos vai trazer.
Top