O rato Performance MX da Logitech (que vem dar continuidade ao extinto MX Revolution), mostra-se, acima de tudo, como uma das imagens de marca da Logitech, combinando ergonomia e uma elevada performance numa vasta gama de botões, todos eles personalizáveis para responder da melhor forma a quaisquer necessidades do utilizador.

Lançado no final de 2009, o Performance MX tem-se mantido como o grande rato de "trabalho" da Logitech, onde as suas inovadoras tecnologias e funcionalidades têm vindo a surgir - ainda hoje - nos modelos que vão sendo lançados mais recentemente, como é o caso do Hyperscroll, Darkfield ou Unifying Software que vamos ver de seguida.

Este não é um rato focado para gaming, embora a sua performance em jogos não desiluda, muito pelo contrário - uma vez que o SetPoint (Software da Logitech que permite a personalização de todos os botões, e alterações de definições para programas ou jogos específicos, como o mapeamento dos botões, velocidades e funções) revela-se muito útil para qualquer utilizador, sendo um software muito simples e intuitivo, onde cada botão e cada funcionalidade do nosso rato é explicada ao detalhe e com total suporte em português. Deste modo, e embora os botões presentes no Performance MX sejam altamente virados para uma optimização de trabalho, a sua personalização permite uma também muito boa performance nos mais variados jogos, sendo a personalização independente para cada programa uma mais valia para que o utilizador tenha, deste rato, uma resposta totalmente adaptada, quer esteja a jogar um shooter ou um jogo de estratégia, por exemplo.

Com formas muito fluídas, é de referir que este rato foi somente concebido para a mão direita, não sendo possível a sua utilização com a mão esquerda, dadas as pegas e as localizações dos mais variados botões no Performance MX. A sua capa superior, muito limpa, mas com algum atrito para que a mão não escorregue facilmente, une todo o rato, incluindo os botões principais (esquerdo e direito) numa só peça. à volta desta primeira "carapaça", temos então toda uma envolvência em borracha, com suaves nuances para o encaixe dos dedos, alternada apenas por um pormenor prateado onde estão colocados os botões "avançar" e "retroceder". Uma das grandes mais valias este rato, em termos de pega, é a colocação do polegar, que permite um maior descanso a toda a mão, assim como uma maior rapidez de resposta por parte do próprio polegar, com quatro botões a funcionarem através deste dedo, e sem grade esforço ou movimentações.

 Botões:
Começando pelo básico, o Performance MX conta com os clássicos botão esquerdo e direito, que podem ser invertidos - algo que tem o seu interesse, mas de um modo limitado, uma vez que as suas formas permitem apenas utilizadores destros. O clique é bem sentido, e o ruído suave mas directo, que é já uma característica dos ratos Logitech, faz com que o utilizador realmente tenha noção de quando cada botão foi verdadeiramente pressionado. Aqui, o botão esquerdo mostra-se visivelmente mais acima que o direito, que faz com que a mão, em repouso, tende a carregar inadvertidamente no botão direito de vez em quando, que, por receber um toque mais suave, acaba por ser pressionado mais facilmente que o botão esquerdo, algo que requer habituação e pode tornar-se indesejável por parte do utilizador nos primeiros momentos.

Já o Scroll do Performance MX volta a surpreender. No seu "irmão" Revolution, o Scroll fora lançado como um batimento de "roda dentada", correspondente ao movimento de uma, três, ou seis linhas, mas que, ao pressionar ligeiramente, se transformava em Hyperscroll durante alguns momentos, permitindo, por exemplo, um deslocamento contínuo de um qualquer documento de texto sem ser necessária a presença do dedo sobre o Scroll e do clássico movimento de ir arrastando a roda. Contudo, o Performance MX vai mais além, e modifica a tipologia da roda de Scroll para aquela que melhores resultados trouxer ao utilizador. Através de um botão colocado directamente abaixo do Scroll, o utilizador tem agora a hipótese de escolher que tipo de Scroll deseja: o "normal", com o travamento da roda, que, diga-se, é suave, e não requer um grande esforço por parte do dedo, nem trava de um modo demasiado abrupto; e o modo constante de Hyperscroll, em que a roda fica livre para um Scroll contínuo, sem travamentos, e com uma resposta gráfica deslizante muito apelativa e que facilita, em muito, o deslocamento das mais variadas páginas numa vastíssima gama de softwares. O seu clique, tal como o seu deslocamento, é suave, onde a superfície de borracha permite ainda uma interacção suave e optimizada com o dedo.

Ainda no capítulo do Scroll, existe o deslocamento horizontal, dado por um deslocamento analógico na própria roda. Se muitos ratos contam com o pressionar do Scroll para a esquerda ou para a direita, ouvindo-se o clique de um botão, esse toque, no Performance MX, é totalmente dado por pressão, onde, quanto mais o utilizador empurrar a roda para a esquerda ou para a direita, mais rápida será a deslocação da página. Esta possibilidade revela-se francamente eficiente em programas de edição de imagem, por exemplo, onde é necessária uma constante movimentação do nosso fundo de trabalho em dois eixos. Contudo, a pressão dada no Scroll é também algo que requer muita habituação, uma vez que exige um grande controlo por parte do utilizador, mas que pode ser auxiliado pela definição da velocidade de deslocamento no SetPoint da Logitech.

Já os botões Avançar e Retroceder, muito úteis para deslocamentos totais de página ou para uma rápida deslocação entre websites - através do Histórico, voltam a estar presentes, tal como vem sendo um hábito nas gamas Logitech. A sua utilização é muito simples e directa, e apenas se torna confusa num único ponto: utilizados pelo polegar, estes dois botões têm, directamente abaixo, um botão denominado de Zoom, que parece interagir como um terceiro botão do "modo" Retroceder e Avançar, mas que, na realidade, interage com o Scroll. Ao clicar neste botão, o cursor do rato transforma-se numa lupa, e o deslocamento do Scroll, para a frente ou para trás, faz com que façamos zoom apenas com o rato, sem quaisquer atalhos do teclado ou ir a menus, o que pode auxiliar o desempenho do utilizador em programas complexos onde por vezes a ferramenta de Zoom não é dada de um modo directo. Infelizmente, este botão revela-se bastante saliente, e tende a travar ligeiramente o curso do polegar para os botões retroceder e avançar, o que requer também alguma dinâmica da mão e adaptação por parte do utilizador, principalmente se estiver habituado a ratos universais, sem serem projectados única e exclusivamente para a mão direita.

O último botão deste rato, o botão "Mudança de Aplicações", é, talvez, uma das mais brilhantes inovações presentes neste Performance MX. Todo o polegar assenta numa superfície em borracha, côncava, que permite não só à mão estar mais fechada, e logo, em maior repouso, mas também o acesso fácil, por mera pressão do polegar, a um botão que é, na verdade, toda a parte de baixo dessa superfície em borracha. Com um clique muito suave nesta superfície, o nosso ecrã transforma-se num visor múltiplo em tempo real, onde cada janela, cada aplicação que estejamos a utilizar aparece disposta no ecrã, com uma vista em tempo real, suprimindo em qualidade, por exemplo, o scroll de janelas característico do Windows 7. Todas as janelas aparecem dispostas umas ao lado das outras, sejam elas quais for, e em que número for, e todas elas se apresentam com visualização em tempo real. Dando um exemplo, se o utilizador tiver quatro aplicações que precisem de monitorização em simultâneo, pode carregar neste botão e poderá ver o que acontece em cada uma delas ao mesmo tempo, sem necessitar de percorrer uma a uma, janela a janela, e tudo através de um panning suave, onde ao deslocarmos o cursor do rato sobre uma das nossas janelas obtemos informações detalhadas: num qualquer software, o nome da aplicação e do ficheiro aberto; num browser, o nome da página, o subtítulo e o nome do próprio browser.

Deste modo, podemos verificar que os botões presentes no rato Performance MX da Logitech se revelam, todos eles, com grandes ponderações de Performance, dando jus ao nome atribuído a este rato, e que baseia toda a sua potencialidade num desempenho o mais optimizado possível a qualquer utilizador.

Funcionalidades:
Mas que não se pense que a Logitech pensou num punhado de botões e os dispôs ergonómicamente num rato. O Performance MX conta, ainda, com importantes inovações e evoluções daquilo que nos foi trazido pelo Revolution MX.

A primeira das grandes evoluções é o sistema de bateria e indicador de carga. Através de três pequenos LED verdes, o utilizador poderá perceber como está a carga do seu rato, mas que se acendem somente durante dois segundos, ou quando o rato é ligado, ou quando é reactivado (depois de estar parado alguns minutos). Isto permite ao utilizador ver o estado da bateria, mas também alguma poupança da mesma, não tendo estes LEDs constantemente acesos. Já a bateria, é na verdade uma pilha recarregável, de enorme autonomia, e que permite o seu carregamento através de um cabo Micro USB, ligado a uma porta USB no computador, o que permite a utilização do Performance MX enquanto está a carregar, ou, se preferirmos, com uma tomada ligada directamente à corrente, onde, em qualquer um dos casos, os três LED vão alternando até estarem fixos, indicando que a carga está completa.

Ainda no capítulo das ligações, o Logitech Performance MX é um rato Wireless, que funciona através do envio de sinal para uma pequeníssima "pen" USB, já dotada da mais recente tecnologia da Logitech, a Unifying. Este software, designado pelo ícone laranja na Pen, permite que este receptor armazene dados de até seis componentes, desde que sejam todos compatíveis com esta tecnologia. Isto é algo que permite uma maior liberdade de ligações, onde facilmente uma única slot USB poderá armazenar todos os periféricos Logitech do computador, Wireless, mas que inviabiliza a compatibilidade para quem tem componentes Logitech Wireless da antiga geração (que funcionavam com o mini receptor USB), sendo, nesse caso, necessária a presença de vários receptores.

No campo das funcionalidades "debaixo do rato", podemos contar com duas questões de grande relevo neste Performance MX: os três Pads de deslocação do rato, superfícies muito polidas que permitem uma utilização suave e sem qualquer travamento por parte do Performance MX, e ainda a tecnologia Darkfield, um vidro escurecido sob o laser que permite a este rato a sua utilização sobre qualquer superfície, mesmo as mais reflectoras como vidros, e com uma precisão impressionante, o que poderá agradar quer num desempenho de trabalho, quer em gaming. A precisão deste rato, tal como a sua fiabilidade de reacções são realmente duas características de grande mais valia neste Performance MX, que se mostra verdadeiramente como um rato muito seguro de utilizar.

Preço:
Com o valor na casa dos 85€, o Performance MX torna-se um rato acima da média de valores no que diz respeito a ratos de trabalho, mas que tenta fazer valer o seu preço com materiais e acessórios também muito acima da média. Para além do plástico e borracha empregue no rato em si ser de muito boa qualidade, o Performance MX vem ainda com cabo Micro USB, receptor e transformador para tomada, numa bolsa de grande acabamento. Os seus botões são macios, o que leva também a questionar qual a sua durabilidade a longo prazo, mas que garantem ao utilizador uma maior sensibilidade do rato.

Positivo no Performance MX:
- Boa adaptação do rato à mão do utilizador.
- Botões úteis e totalmente personalizáveis, ajustados a trabalho ou gaming.
- Grande qualidade de materiais.
- Elevada autonomia e modos de carregamento.
- Excelente adaptação a qualquer superfície de trabalho.

Negativo no Performance MX:
- Cliques indesejados em alguns botões.
- Requer adaptação e habituação ao manuseio do rato.
- Somente adaptado à mão direita.
- Preço elevado.

Em suma, o Logitech Performance MX revela-se um rato extremamente avançado, com óptimas capacidades de trabalho e uma grande adaptação a gaming, com uma enorme precisão e fiabilidade. O grande senão será o seu preço, mas esta é uma excelente aposta para trabalho, muito eficiente, onde o software SetPoint da Logitech optimiza toda a utilização deste rato. Já o seu modo de carregamento e autonomia são outros pontos fortes, que fazem do Performance MX uma das actuais imagens de marca da Logitech.
 
 Autor: Tiago Russo
{mosgoogle}
Classifique este item
(0 votos)
Ler 4756 vezes Modificado em Jan. 22, 2012

Sobre nós

Nascida em 2002, a Wintech é uma pagina web que reúne informações sobre tecnologia. Apresenta regularmente guias, análises, reportagens e artigos especiais de tudo o que rodeia o mundo tecnológico. Saiba mais.

Wintech TV

Newsletter

Receba as notícias no seu e-mail

Top