terça-feira, 12 outubro 2021 10:05

Kaspersky lança Smart Home Security

A Kaspersky acaba de anunciar o lançamento de uma nova solução – o Kaspersky Smart Home Security - que irá ajudar os operadores de telecomunicações a dar resposta ao aumento da procura dos consumidores por serviços de proteção de dispositivos domésticos inteligentes. Esta solução fornece uma proteção abrangente contra uma vasta gama de possíveis ameaças, como avarias, ataques maliciosos e vigilância oculta. O produto é instalado num router por um operador de telecomunicações e o utilizador precisa apenas de descarregar uma aplicação no seu smartphone, de forma a controlar e monitorizar a segurança do dispositivo.

Os investigadores da Kaspersky apresentaram uma investigação aprofundada sobre as mais recentes novidades introduzidas no spyware FinSpy para o Windows, Mac OS, Linux e outros developers. Esta análise, que demorou oito meses a ser realizada, realça quatro níveis de ofuscação e avança medidas antianálise, promovidas por quem desenvolveu os spywares, bem como a utilização de um bootkit UEFI que infeta as suas vítimas. Os resultados da investigação enfatizam a evasão das defesas, convertendo o FinFisher num dos spywares mais difíceis de detetar e reportar até à data.

A Kaspersky acaba de atualizar duas das aplicações da sua solução de segurança Kaspersky Hybrid Cloud Security para virtualização e ambientes cloud: a Kaspersky Endpoint Security for Linux e a Kaspersky Security Center Management Console. A nova versão da Kaspersky Endpoint Security for Linux fortalece as defesas do sistema contra explorações (exploits) e ataques ransomware, e aumenta ainda a proteção para DevOps. Já a Kaspersky Security Center Cloud Console funciona agora com plataformas públicas na cloud, de forma a permitir que a gestão da proteção do volume de trabalho seja mais eficiente.

Enquanto em muitos países da Europa se planeia a introdução dos passaportes de vacinação para permitir o acesso a mais serviços e atividades, um novo estudo da Kaspersky demonstra que, entre nove países europeus, a população portuguesa é aquela que está mais disposta (58%) a partilhar os seus dados de saúde, localização e contacto, para ajudar o país a ultrapassar a pandemia. 

Estas são as principais conclusões do mapa de privacidade de dados da Kaspersky, que explora a importância e as preocupações de 8.000 consumidores em nove países europeus – onde se inclui Portugal - em relação à privacidade de dados pessoais após a pandemia.

terça-feira, 06 julho 2021 18:42

Lançado novo Kaspersky Password Manager

O Kaspersky Password Manager implementou várias melhorias em todas as plataformas e um maior controlo sobre a robustez das palavras-passe. A versão no Windows tornou-se agora mais conveniente e transparente: novas funcionalidades vão permitir aos clientes controlar o estado e a segurança de todas as suas palavras-passe. A opção que permite a digitalização de documentos de várias páginas está agora disponível para os utilizadores de iOS. A versão Android recebeu suporte para 10 motores de pesquisa, bem como os dispositivos Huawei.

Alguns dos colaboradores portugueses (12%) revelaram que já fingiram ter os seus dispositivos a instalar atualizações para não terem de comparecer numa determinada call ou reunião de trabalho. Esta “desculpa” é plausível, visto que updates de software poderem atrapalhar dias de trabalho e que cerca de 38% dos colaboradores inquiridos em Portugal confirmaram que se atrasaram para reuniões devido a atualizações. Estas são as conclusões de um recente estudo da Kaspersky sobre as atitudes e hábitos dos colaboradores em relação às atualizações de dispositivos.

O ransomware pode parecer um problema apenas das grandes e conhecidas empresas, mas diversas investigações têm demonstrado que existem vários motivos para que também as pequenas e médias empresas (PME) estejam cientes deste problema e saibam defender-se contra ele. Desta forma, no Dia do Anti-Ransomware, a Kaspersky partilha alguns hábitos de segurança a ter em conta.

De acordo com os últimos dados da Kaspersky, em Portugal, o ransomware aumentou cerca de 1% entre 2019 (1,69%) e 2020 (2,65%), no que diz respeito aos ataques realizados contra utilizadores, tendo em conta vários tipos de dispositivos tecnológicos e não apenas dispositivos mobile. Com este número a crescer, tanto utilizadores individuais, como empresas devem continuar a reforçar a sua segurança.

quinta-feira, 13 maio 2021 21:53

Kaspersky regista um crescimento estável em 2020

Em 2020, a Kaspersky alcançou um crescimento estável de negócio e aumentou a sua receita global não auditada de IFRS para 704 milhões, um crescimento anual (YOY) de 3%. Durante um ano cheio de desafios associados à pandemia, a empresa global de cibersegurança alcançou resultados positivos, protegendo a privacidade dos seus utilizadores e ajudando as empresas a mitigar os riscos de cibersegurança, num contexto de crescente digitalização.

Em 2020, para além da rápida transição para o mundo e ferramentas de trabalho digitais, muitas organizações viram também a necessidade de aumentar os seus níveis de cibersegurança. A Kaspersky trabalha continuamente para oferecer alguns dos melhores produtos e serviços da indústria, assegurando a proteção dos seus clientes em todo o mundo. Neste sentido, a empresa alcançou um sucesso significativo, tanto no segmento B2B (+13% de crescimento anual), como no B2C (+4%). Os resultados de vendas da Kaspersky** em 2020 estão entre os melhores da história da empresa.

Entre 2019 e 2020, o número de utilizadores de serviços da Kaspersky que se depararam com ataques direcionados de ransomware - malware utilizado para extorquir alvos de grande visibilidade, como grandes empresas, organizações governamentais e organizações municipais - aumentou em 767%. Este aumento foi também acompanhado de uma diminuição de 29% no número total de utilizadores afetados por qualquer tipo de ransomware, sendo o WannaCry a família mais encontrada. Estas são algumas das principais conclusões do mais recente relatório da Kaspersky sobre o panorama do ransomware.

Este domingo, dia 25 de abril, após algumas mudanças de data devido à pandemia, a espera acaba e o mundo vai finalmente parar para ver a 93ª edição dos Óscares. Com todas as restrições impostas devido ao coronavírus, os organizadores querem tornar a cerimónia virtual tão emocionante quanto possível. Assim, pela primeira vez na história destes famosos prémios, a cerimónia será realizada não só nos Estados Unidos, mas também em hubs abertos em Londres e Paris. E, enquanto a cerimónia percorre o mundo através do online, os cibercriminosos estão dispostos a tirar o máximo partido deste evento, disseminando ficheiros maliciosos disfarçados das obras nomeadas.

Pág. 10 de 28
Top