Uma análise ao ciclo de vida das páginas falsas usadas em ataques online, feita pelos especialistas da Kaspersky, revela que um terço destas deixam de existir em menos de um dia. Essa característica aumenta o perigo para os utilizadores, uma vez que os ataques ficam ativos por pouco tempo – o que dificulta a sua deteção e bloqueio.

O estudo analisou 5 307 páginas de phishing no período entre 19 de julho e 2 de agosto de 2021, e uma grande parte dos links analisados (1 784) deixaram de estar ativos após o primeiro dia de monitorização – de facto, várias delas foram removidas em poucas horas. Após 13 horas do início do monitorização, um quarto das páginas falsas já estavam offline e metade dos sites não durou mais de 94 horas.

segunda-feira, 31 janeiro 2022 13:40

Kaspersky cria serviço para eliminar domínios maliciosos

O “Kaspersky Takedown Service” proporciona uma gestão de A a Z de todo o processo de eliminar domínios maliciosos e de phishing. Juntamente com Kaspersky Digital Footprint, que ajuda os analistas a explorar a visão que o adversário tem sobre os recursos da sua empresa, permite às organizações responder eficazmente a fontes maliciosas ou ameaças de phishing direcionadas à sua organização e aos seus clientes.

A Kaspersky analisou dados anónimos fornecidos voluntariamente pelos visitantes do Privacy Checker, um site que contém conselhos importantes sobre definições de privacidade para vários serviços e plataformas da Internet. Os resultados mostram cada configuração de segurança (altas, médias, ou baixas) para cada serviço ou plataforma, que é procurada pelos utilizadores e com que frequência. De acordo com os dados, os utilizadores do TikTok estão mais interessados em configurações de segurança altas em todos os serviços – a partilha destes pedidos atinge os 71%. Entretanto, os proprietários iPhone estão mais preocupados com a segurança online em comparação com outras plataformas - mais de metade (53%) dos pedidos referem-se às configurações de segurança mais rigorosas.

A Kaspersky acaba de lançar o [Dis]connected, um jogo de aventura que simula a rotina diária de uma pessoa do futuro. Esta personagem procura manter um equilíbrio saudável entre o trabalho e a vida pessoal, e assegurar o seu sucesso nestas duas áreas. Para complementar os programas tradicionais de formação e sensibilização para a cibersegurança nas empresas, o jogo demonstra claramente os benefícios de um comportamento digital seguro, podendo ser utilizado para reforçar o que os colaboradores já aprenderam. A Kaspersky – empresa de formação em cibersegurança mais recomendada –, pretende aplicar este jogo a projetos educativos e mediáticos a nível nacional.

A Kaspersky, empresa líder mundial em cibersegurança e privacidade digital, é uma das primeiras organizações a abordar o desafio do fenómeno do aperfeiçoamento humano, apresentando uma política de cibersegurança para estes dispositivos. O documento visa melhorar a força de trabalho, ao mesmo tempo que tem em consideração a segurança e o bem-estar dos colaboradores quando utilizam dispositivos biónicos no escritório.

No meio de todo o entusiasmo e inovação em torno do aperfeiçoamento humano – em particular, a crescente utilização de dispositivos biónicos que visam substituir ou aumentar partes do corpo humano com um implante artificial - existem receios legítimos entre os especialistas em cibersegurança e a comunidade em geral. Preocupa-os o facto de ser dada muito pouca atenção à segurança destes dispositivos. Esta falta de consciência em torno do tema conduz à incerteza e riscos, tanto para o desenvolvimento das tecnologias de aperfeiçoamento humano, como para um mundo digital mais seguro no futuro.

Os cibercriminosos estão constantemente a inventar novos métodos de criminalidade online, tendo-se registado um aumento desta atividade nos últimos meses. Os especialistas da Kaspersky verificaram um aumento da atividade de atacantes que roubam passwords através da utilização de um malware especial chamado Trojan-PSW - criado para recolher informações de login e outros dados.

segunda-feira, 22 novembro 2021 00:00

Kaspersky explica "Como são roubadas as bitcoins?"

Em plena bitcoin era, as flutuações na cotação das bitcoins e outras criptomoedas chamou a atenção dos utilizadores e dos meios de comunicação, ocupando capas de jornais e o centro de muitas conversas. Há apenas um ano, as criptomoedas apenas interessavam a especuladores especializados, a curiosos e a fãs de tecnologia. Mas os hackers também viram a sua oportunidade, tal como destacam os especialistas da Kaspersky Lab. As criptomoedas converteram-se num novo banco de pesca onde muitos hackers lançaram as suas “redes” de phishing numa tentativa de roubar as credenciais de outros utilizadores.

A Kaspersky acaba de anunciar o lançamento da campanha “Família Segura” em Portugal, uma ação que pretende sensibilizar e ensinar as crianças a lidarem com os perigos do mundo online. A campanha vai dar-se a conhecer através do livro da Kaspersky, “Kasper, Sky e o Urso Verde”, que conta a história de duas crianças e o urso Midori, personagem que alerta os mais pequenos e os ajuda a protegerem-se no mundo digital. Para assinalar o arranque da campanha, a influenciadora e atriz Sofia Correia, vai conduzir um live na sua página de Instagram, no dia 14 de novembro, às 11h, para contar esta aventura a miúdos e graúdos. A história vai ainda ganhar vida através da companhia de teatro Cativar, que vai levar as lições do urso Midori a várias escolas nacionais, a partir de janeiro do próximo ano.

A Kaspersky, empresa de cibersegurança líder de proteção endpoint, adquiriu a empresa – Brain4Net. A empresa tem vindo a desenvolver soluções e serviços para ajudar empresas e fornecedores de serviços a adaptarem-se às tecnologias modernas, tais como o Software-Defined Wide-Area Network (SD-WAN) e o Network Functions Virtualization (NFV), através de uma rede de infraestruturas existente. A equipa da Brain4Net juntou-se à Kaspersky e vai contribuir para a construção de uma estratégia de segurança em rede fidedigna. A par desta missão, irá contribuir com o Secure Access Service Edge (SASE), com a oferta de XDR.

De acordo com o novo estudo da Kaspersky, 70% das pessoas está a mudar a sua atitude face às redes sociais, havendo uma preocupação acrescida relativamente ao impacto que estas têm na saúde mental. Sendo uma prioridade o alcance do equilíbrio digital, a Kaspersky estabeleceu uma parceria com Neil Tranter – professor de mindfulness – para desenvolver um curso especializado em meditação, o "Overcoming digital stress and smartphone addiction", que providencia aos utilizadores conhecimento adequado e ferramentas para navegar no digital, de forma mais “mindfully”

Encontrar o equilíbrio certo entre os efeitos positivos e negativos da tecnologia e das redes sociais continua a ser um problema social. De facto, 39% das pessoas não se sente no controlo da situação e afirma não saber quais são os limites das redes. Ainda, 23% das pessoas sentem que experienciam emoções negativas – que conduzem ao aumento dos níveis de stress e ansiedade.

Pág. 9 de 28
Top