Huawei promove colaboração com a Indústria para estabelecer padrões comuns de cibersegurança nas redes 5G - Wintech

A Huawei reforça o seu compromisso com a cibersegurança, apresentando um livro branco de segurança nas redes 5G. Com o título “Colaborando com a Indústria para garantir a segurança nas redes 5G”, o relatório analisa a posição dos especialistas do setor e organizações de padrões internacionais, que demonstram que os riscos de segurança das redes 5G podem ser geridos de forma eficaz, graças a protocolos e padrões de segurança, bem como de mecanismos que garantem a confidencialidade, integridade das informações dos utilizadores e a disponibilidade do serviço.

A inovação faz parte do ADN da Huawei desde o primeiro dia e tal reflete-se numa aposta permanente na procura das melhores soluções e serviços para os clientes. Desde 2009 que a Huawei investe em Investigação e Desenvolvimento (I&D) na tecnologia 5G. Só em 2017 e 2018, a empresa investiu quase 1,4 mil milhões de dólares no desenvolvimento de produtos 5G.

O 5G está a converter-se numa realidade e o seu ciclo de vida irá estender-se por muitos anos. Graças ao investimento em I&D e ao desenvolvimento de mais de 2.500 patentes relacionadas com o 5G, a Huawei tem-se posicionado como líder nas primeiras implementações desta tecnologia, tendo já assinado 50 contratos comerciais e implementado 150.000 estações base 5G no mundo.

O 5G trará novas oportunidades, assim como novos desafios para a cibersegurança: por um lado, os novos serviços, arquiteturas e tecnologias, mas também requisitos mais exigentes em termos de privacidade e proteção da informação do utilizador. Deste modo, a Indústria necessita de compreender as necessidades e os diferentes cenários do serviço 5G, e definir os melhores padrões e tecnologias de segurança 5G para abordar os riscos associados.  

A partir de 2020, as aplicações de Realidade Virtual, Realidade Aumentada, veículos conectados (IoV), banda larga móvel melhorada (eMBB) e Internet of Things (IoT) crescerão exponencialmente, em paralelo com a implementação de redes 5G. Além disso, especialistas estimam que, até 2025, haverá 100 mil milhões de conexões em todo o mundo, das quais 90% serão conexões da IoT, mudando significativamente as nossas vidas.

Cibersegurança, uma prioridade para a Huawei

Tendo isso em conta, a Huawei sugere que toda a Indústria permaneça recetiva e colaborativa, e otimize periodicamente a regulamentação, os mecanismos de verificação e as garantias para a segurança das redes 5G. Da mesma forma, espera que essas iniciativas tornem as redes mais robustas e melhorem os padrões e tecnologias de segurança, de modo a que as ameaças e os desafios de segurança do 5G possam ser abordados de forma consensual.

A cibersegurança é um desafio comum para todo o setor. Para a Huawei, esta é uma prioridade que é abordada em toda a cadeia de fornecedores, na qual são aplicados protocolos rigorosos para que o equipamento seja seguro e confiável. A Huawei tem contribuído ativamente para o ecossistema de padrões, participando em mais de 400 organizações internacionais de padronização e acaba de anunciar um investimento extraordinário de 2 mil milhões de dólares, nos próximos cinco anos, para a melhoria das capacidades de engenharia de software.

Neste sentido, a Huawei compromete-se a colaborar com os operadores para oferecer uma alta robustez contra ataques informáticos das redes a partir da perspetiva da operação e manutenção. 

Cooperação da indústria para enfrentar futuros desafios

Tomando como base a experiência da segurança das redes 4G, a gestão de riscos de segurança 5G é obtida através de esforços conjuntos de toda a indústria. Para isso, é necessário melhorar as soluções de segurança através da inovação tecnológica, bem como construir sistemas e redes seguras baseadas em padrões e na cooperação de todo o ecossistema. Desta forma, o livro branco apresenta as seguintes recomendações aos diferentes atores do ecossistema:

  • Fornecedores de soluções e equipamentos: devem contribuir no trabalho de definição de padrões de segurança da indústria, cumprir com os padrões e integrar tecnologias de segurança para construir equipamentos seguros. Com os clientes e outros membros do ecossistema, devem proporcionar a capacidade e funcionalidade necessária para que os operadores possam garantir uma intervenção segura e a cibersegurança das suas redes.
  • Operadores: são responsáveis pela utilização segura e pela cibersegurança das suas próprias redes. Os operadores devem evitar ataques externos com firewalls e gateways de segurança. Para ameaças internas, os operadores podem gerir, monitorizar e auditar todos os seus fornecedores e parceiros para garantir que os elementos de rede sejam seguros.
  • Reguladores: como indústria, devemos trabalhar em conjunto em torno de padrões de cibersegurança. Em termos de tecnologia, é necessário contextualizar continuamente os riscos de segurança em redes 5G (slicing, edge Computing, IoT massivo e outros cenários) e melhorar a segurança baseada em protocolos. Em relação às garantias de segurança, é essencial padronizar os requisitos de segurança cibernética e garantir que esses padrões sejam aplicáveis e verificáveis para todos os participantes do setor.

 

Pode aceder ao livro branco completo aqui.

Classifique este item
(0 votos)
Ler 300 vezes
Tagged em

Sobre nós

Nascida em 2002, a Wintech é uma pagina web que reúne informações sobre tecnologia. Apresenta regularmente guias, análises, reportagens e artigos especiais de tudo o que rodeia o mundo tecnológico. Saiba mais.

Wintech TV

Newsletter

Receba as notícias no seu e-mail

Top