A Sophos, líder global em segurança de rede e endpoint, anuncia hoje o lançamento da solução Intercept X com deteção de malware alimentada por redes neurais de deep learning avançado. Combinada com técnicas de mitigação anti-hackers, bloqueio avançado de aplicação e proteção otimizada contra ransomware, esta nova versão oferece níveis de deteção e prevenção nunca antes vistos. 

O deep learning é a mais recente evolução do machine learning. Oferece um modelo de deteção massivamente escalável que é capaz de aprender sobre todo o cenário de ameaças atual. Com a capacidade de processar milhões de amostras, o deep learning consegue fazer predições mais exatas e rápidas com menos falsos-positivos, quando comparado com o machine learning tradicional.

“Os modelos de machine learning tradicionais dependem do trabalho de analistas especializados em ameaças que selecionam os atributos para os quais devem treinar os modelos, adicionando um elemento humano subjetivo. Estes modelos tornam-se mais complexos à medida que recolhem mais informação, ocupando muitos gigabytes e tornando-se lentos e demorados. Além disso, têm também taxas significativas de falsos-positivos que reduzem a produtividade da equipa de TI, que perde tempo a tentar determinar o que é malware e o que é software legítimo”, explica Tony Palmer, senior validation analyst no Enterprise Strategy Group (ESG), consultora especializada em TI. “Por outro lado, a rede neural de deep learning da Intercept X foi desenvolvida para aprender pela experiência, criar correlações entre comportamento observado e o malware. Estas correlações resultam numa elevada taxa de precisão contra malware existentes e de zero-day, e numa taxa inferior de falso-positivo. Uma análise do ESG Lab revela que este modelo de rede neural escala facilmente, e quanto mais dados recolhe mais inteligente se torna. Isto permite uma deteção agressiva sem comprometer o desempenho administrativo e do sistema”.

Esta nova versão da Sophos Intercept X também incorpora inovações na proteação anti-ransomware e prevenção contra exploit, e mitigação de técnicas anti-hacking, tais como proteção contra roubo de credenciais. Com a otimização dos sistemas anti-malware, os ataques de roubo de identidade aumentaram com objetivo de se movimentarem em sistemas e redes como um utilizador legítimo. A Intercept X deteta e previne este comportamento. Implementada através da plataforma de gestão cloud Sophos Central, a solução Intercept X pode ser instalada juntamente com o software de segurança endpoint já existente e de qualquer fornecedor, impulsionando imediatamente a proteção endpoint. Quando utilizado com o Sophos XG Firewall, a Intercept X introduz capacidades de segurança sincronizada para uma proteção única e melhorada.

Dan Schiappa, Vice-Presidente Sénior e Diretor Geral de Produtos na Sophos, afirma: “A proteção preditiva é o futuro da segurança em TI. A Sophos deu um grande passo rumo ao futuro ao trazer o deep learning baseado em redes neurais para a indústria, liderando a proteção anti-ransomware e anti-exploit com Intercept X. Sermos capazes de nos protegermos contra o próximo ataque desconhecido em vez de esperamos que o mesmo chegue, vai mudar a forma como as operações de TI das empresas podem proteger os seus utilizadores e os seus bens. A Intercept X pode oferecer proteção avançada de próxima geração a qualquer organização, independentemente da sua atual estratégia”.

De acordo com um relatório do ESG Lab Validation Report, todas as empresas devem assumir que estão sempre sob ataque de ciberameaças. Num estudo recente do ESG, quando inquiridos sobre quais as principais razões que dificultam as analíticas e operações de cibersegurança atualmente, mais de um quarto dos inquiridos diz ser a dificuldade de se manter a par das rápidas mudanças no cenário das ameaças. (Cybersecurity Analytics and Operations in Transition, julho 2017.) 

Desde setembro de 2016, data de lançamento da primeira versão da solução Intercept X, dezenas de milhares de organizações em todo o mundo já comprovaram a sua eficácia. Os clientes e parceiros que fizeram parte o Programa de Acesso Preliminar desta nova versão da Intercept X, disseram o seguinte:

“A Intercept X tem sido um sucesso entre os nossos clientes”, afirma Mark Brandon, Vice-Presidente Sénior das Operações de Negócio na Networking Technologies and Support Inc., um parceiro Sophos. “O ransomware foi a principal dor de cabeça de toda a gente em 2017, e lutámos para conseguir pará-lo com a nossa proteção de endpoint tradicional. A possibilidade de instalar a Intercept X com qualquer programa de proteção de endpoint que tivermos significa que podemos ajudar imediatamente as empresas que vieram ter connosco à procura de uma solução. A Intercept X é simples e altamente eficiente, e ajuda-nos a fazer crescer o nosso posicionamento enquanto parceiro de confiança para os nossos clientes. Complementar esta solução com deep learning e outras melhorias demonstra que a Sophos está a liderar este mercado com a oferta de uma tecnologia que nos mantém à frente das ciberameaças”.

“A Sophos continua a impulsionar a inovação na segurança das TI”, reforça James Miller, Diretor Geral na Chess CyberSecurity, um parceiro Sophos. “Acreditamos no conceito da segurança sincronizada, e muitos dos nossos clientes têm-se mostrado satisfeitos com a capacidade de detetar e responder automaticamente a incidentes de segurança sem a intervenção do administrador de TI. A solução Intercept X leva essa resposta a outro nível e leva a Sophos a novos clientes que podem estar a utilizar um anti-vírus de outro fornecedor, mas que necessitam de proteção contra ameaças zero-day”.

“Os falsos-positivos consomem tanto tempo quanto as ameaças reais”, explica Denney Fifield, Diretor de Serviços de Tecnologia na Strong & Hanni PC, um cliente Sophos. “Quando temos recursos de TI limitados, queremos estar focados em garantir que o negócio está a funcionar eficientemente e que a equipa de TI suporta estes objetivos. Não encontrámos nenhuma outra solução capaz de aumentar os níveis de deteção e reduzir os níveis de falso-positivo como a Intercept X, que é agora alimentada por deep learning. Estamos ansiosos por implementá-la em todo o nosso ambiente”.

Alex Bradshaw, técnico de TI na Kimbolton School, um cliente Sophos, comenta, “Sofremos um ataque de ransomware que nos custou 48h de tempo de inatividade e de perda de produtividade enquanto recuperávamos. Foi stressante e inconveniente para a faculdade e os nossos estudantes que dependem das atividades de TI todos os dias. Depois disso implementámos a Intercept X, que demorou cinco minutos a instalar e 10 minutos a fazer uma análise completa. Não fomos vítimas de ataques de ransomware desde então”.

A nova versão Intercept X inclui as seguintes características:

 

Deteção de malware com Deep Learning

  • Modelo deep learning deteta malware conhecido e desconhecido e aplicações potencialmente indesejadas (PUAs) antes de serem executadas, sem se basear em assinaturas.
  • O modelo tem menos de 20M e não necessita de atualizações frequentes.

Mitigação de técnicas contras atacantes

  • Proteção contra roubo de credenciais – Impede o roubo de passwords de autenticação e informação armazenadas na memória, registo e armazenamento persistente, que são aproveitadas por aplicações como o Mimikatz.
  • Utilização de ‘código cave’ – Deteta a presença de um código implementado em aplicações conhecidas, frequentemente utilizado para ganhar persistência e evitar detecções de antivírus.
  • Proteção APC – Deteta o uso de chamadas de execução de processos assíncronos (Asynchronous Procedure Calls - APC) frequentemente utilizadas como parte da técnica de injeção de código AtomBombing e mais recentemente utilizadas como método para espalhar o ‘verme’ WannaCry e o ‘wiper’ NotPetya através de EternalBlue e DoublePulsar (os atacantes abusam destas chamadas para conseguirem que outro processo execute o código malicioso). 

Novas e melhoradas técnicas de prevenção de exploits

  • Migração de processos maliciosos – Deteta a injeção remota de uma DLL reflexiva, utilizada pelos atacantes para se movimentarem entre processos a correr no sistema
  • Aumento do privilégio do processo – Previne que um processo de baixo privilégio seja escalado para um maior privilégio, uma tática utilizada para ganhar mais acesso ao sistema

Application lockdown otimizado

  • Browser behavior lockdown – O Intercept X previne a utilização maliciosa do PowerShell desde os browsers, como técnica de controlo de comportamento básico
  • HTA application lockdown – As aplicações HTML carregados pelo browser sofrerão mitigações dos bloqueios como se fossem um browser

 

Mais informação de preços e licenças estão disponíveis para parceiros de canal Sophos em todo o mundo.

 Mais Informações : Sophos 

Classifique este item
(0 votos)
Ler 364 vezes

Sobre nós

Nascida em 2002, a Wintech é uma pagina web que reúne informações sobre tecnologia. Apresenta regularmente guias, análises, reportagens e artigos especiais de tudo o que rodeia o mundo tecnológico. Saiba mais.

Wintech TV

Newsletter

Receba as notícias no seu e-mail

Top