A Microsoft acaba de atualizar o Cyber Signals, a sétima edição do seu relatório de cibersegurança, onde – através dos insights de 78 triliões de sinais de segurança diários – faz uma análise detalhada à crescente ameaça com recurso a cartões oferta falsos, sobretudo em épocas festivas, do grupo Storm-0539 (também conhecido como Atlas Lion).

Segundo a recente edição do Cyber Signals, a Microsoft observou um aumento de 30% das atividades ilícitas praticadas pelo grupo Storm-0539 entre março e maio de 2024, assim como uma subida de 60% entre setembro e dezembro de 2023, coincidindo com o período da Black Friday e do Natal, época em que se regista uma maior utilização de cartões oferta por parte dos consumidores.

À medida que as organizações desenvolvem e implementam mais aplicações na cloud, a segurança torna-se mais complicada. Muitas organizações estão a adotar uma estratégia híbrida ou multi-cloud, o que tem aumentado a superfície de ataque e a complexidade. As equipas de segurança enfrentam frequentemente dificuldades em gerir e proteger os vários workloads e ambientes na cloud, tanto privados, como públicos. E mesmo que a adoção da multi-cloud tenha muitos benefícios, lidar com múltiplas ferramentas adiciona complexidade à gestão, tornando difícil ou impossível aplicar políticas de segurança consistentes em todos os ambientes cloud. Além disso, o nível de complexidade de segurança aumenta ao longo do tempo, à medida que as organizações continuam a adicionar serviços na cloud, o que leva a ainda mais desafios de gestão e custos.

A Rumos, marca de formação e consultoria amplamente reconhecida e vital no campo das tecnologias, anuncia uma nova parceria de formação com a ISC2, uma associação internacional sem fins lucrativos dedicada a inspirar um mundo mais ciberseguro. Além de desencadear um novo conjunto de cursos para elevar o nível de competências de cibersegurança dos profissionais, esta parceria visa também fortalecer as defesas das organizações contra as ameaças em constante evolução.

O sistema anti phishing da Kaspersky frustrou mais de 709 milhões de tentativas de acesso a sites de phishing e de burla em 2023, o que representa um aumento de 40% dos ataques em comparação aos números de 2022. As aplicações de mensagens, as plataformas de inteligência artificial, os serviços de redes sociais e as trocas de criptomoedas estavam entre as vias mais exploradas pelos cibercriminosos para enganar os utilizadores.

Os investigadores da Kaspersky descobriram que as vulnerabilidades dos brinquedos inteligentes podem tornar as crianças potenciais alvos dos cibercriminosos. Os smart toys podem permitir que indivíduos maliciosos assumam o controlo do sistema do brinquedo e o utilizem indevidamente para comunicar com as crianças, através de conversação por vídeo, sem o consentimento dos pais. Os riscos associados conduzem à partilha de dados sensíveis como os nomes dos utilizadores, o sexo, a idade e até a sua localização, comprometendo a segurança das crianças e das suas famílias.

Um novo estudo, encomendado pela Kaspersky e que abrangeu a 21000 pessoas em todo o mundo, revela dados chocantes sobre a extensão do abuso digital. Em Portugal, onde foram inquiridas 1000 pessoas, os números são alarmantes.

Neste Dia de São Valentim, a Kaspersky revela as conclusões de um estudo à escala global, que se baseou em entrevistas a 21 mil pessoas em 21 países de todo o mundo, Portugal incluído, e que mostra que os relacionamentos online apresentam fragilidades.

Os incidentes de cibersegurança causados pelo ser humano são, normalmente, erros ocasionais. Contudo, há erros que são cometidos de forma deliberada e premeditada. A Kaspersky realizou um novo estudo que comprova que, nos últimos dois anos, 77% das empresas sofreram algum incidente cibernético e que 1/5 desses incidentes foram causados pelo comportamento mal-intencionado e deliberado dos colaboradores.

O regresso ao trabalho depois do período de férias é um momento propício para passar em revista as principais tendências que caracterizam as ciberameaças da atualidade. Afinal, ficar um passo à frente das tendências do cibercrime é uma parte integral do combate contra agentes maliciosos: por um lado, da parte dos consumidores e empresas, que necessitam de continuar a aumentar as suas defesas; por outro, da parte de especialistas como a ESET, que fornecem soluções avançadas de cibersegurança.

Verificou-se que vários routers da marca Asus estão vulneráveis e apresentam falhas de segurança, sendo que muitas delas foram classificadas como "críticas" com uma pontuação de 9,8 no Common Vulnerability Scoring System (CVSS). Entretanto, o restante das vulnerabilidades também foi classificado como de severidade "alta" com pontuações CVSS de 8,8.

As vulnerabilidades foram divulgadas pelo Taiwan Computer Emergency Response Team/Coordination Center (TWCERT/CC) e, no total, existem oito delas. Com a exploração bem-sucedida dessas falhas, os atacantes podem realizar injeção de comandos e execução remota de código (RCE).

A Sophos, líder global em inovação e oferta de soluções de cibersegurança como serviço, lançou um novo relatório de investigação sobre o estado do ransomware no setor da educação, "The State of Ransomware in Education 2023", que descobriu que este setor foi quem registou a taxa mais elevada de ataques de ransomware em 2022.

De facto, no ano passado, 79% das organizações de ensino superior e 80% das organizações de níveis de ensino inferiores investigadas relataram ter sido atingidas por ransomware – um aumento em relação aos valores de 64% e 56%, respetivamente, registados em 2021.

Pág. 1 de 5
Top