Google+
Xbox Gaming
Obter para Microsoft
catid=103
MAR 12
WINTECH XBOX GAMING
«Rocket League»
por Hélio Duarte

Existem jogos que nos permitem viver grandes aventuras, outros que nos levam para o palco de grandes batalhas, e outros que, embora não tenham qualquer história para contar, nos mantêm "agarrados" ao ecrã durante várias horas.

É o caso de Rocket League, um jogo futurista de ação e desporto motorizado, onde os jogadores controlam veículos movidos a rockets numa versão alternativa de futebol. Estes veículos assumem, de certa forma, o papel de futebolistas numa grande variedade de arenas.

 


Criado pela Psyonix, um estúdio independente sedeado em San Diego, EUA, Rocket League foi apresentado como sequela de Supersonic Acrobatic Rocket-Powered Battle-Cars (SARPBC), um jogo lançado para a PlayStation 3 em 2008. Rocket League expande o seu aclamado pedigree com gráficos e sistemas de física melhorados, uma jogabilidade single-player e multiplayer, e um número considerável de opções de personalização.

Rocket League está disponível desde julho de 2015 para PC e PlayStation 4, e desde o passado mês de fevereiro para XBox One.

 


Jogabilidade

A jogabilidade de Rocket League é bastante simples, ainda que difícil de dominar, o que pode parecer contraditório. No fundo, a forma de controlar o veículo é bastante simples, pois temos de o orientar pela arena de jogo com aceleração e direção, e ativar, quando considerarmos adequado, o foguete aumenta consideravelmente a velocidade e o salto para alcançar a bola quando ela salta. O que torna o jogo complexo é a imprevisibilidade da bola que, aliada aos vários ressaltos e às leis da física, podem dificultar um pouco os processos para os menos audazes.

Assim, terão vantagem os jogadores que melhor dominarem os tempos de salto e posição dos seus veículos quando atingem a bola, e ainda mais os que conseguirem combinar de adequadamente o salto e foguete para chegar à bola, mesmo quando esta está mais alta. 

Embora se compare aos tradicionais desportos de equipa, em Rocket League não existem regras. Dentro dos 5 minutos que dura cada partida, tudo é permitido... voar, saltar, dar piruetas, chocar contra outros veículos e até mesmo fazê-los explodir, tudo vale para tentar introduzir a bola na baliza adversária. Para além disso, muitos movimentos são recompensados com pontos extra, como por exemplo os "pontapés" de bicicleta, os toques aéreos, aliviar a bola da zona de baliza ou colocá-la junto à baliza adversária. No entanto, os mais importantes e recompensadores são mesmo os golos marcados, seguidos das defesas e "pontapés" na direção da baliza adversária.  

Sendo Rocket League um jogo bastante frenético, com veículos acelerar em todas as direções, muitas vezes o "fator sorte" também tem alguma influencia no desfecho das partidas. Vemos com muita frequência ressaltos de bola que resultam em golo, e muitas vezes, na tentativa de chegar à bola antes do adversário, lá enviamos a bola para a nossa própria baliza.



Rocket League coloca ao nosso dispor uma série de modos de jogo offline e online. No modo offline temos desde o modo de treino com alguns exercícios que nos permitem treinar algumas jogadas básicas, a uma liga personalizável onde podemos competir contra várias equipas de "bots" com até 3 parceiros controlados por inteligência artificial.

Mas o auge da experiência está mesmo no modo online. Neste modo temos partidas, de certo modo, amigáveis, com jogos que vão desde 1v1 a 4v4, e partidas competitivas, onde no máximo se defrontam equipas de 3 jogadores, que nos atribuem um ranking com base no nosso desempenho. É neste último modo, o competitivo, que normalmente encontramos os melhores jogadores, nem que seja a treinar para alguma competição oficial do jogo, já que Rocket League é mais um potencial sucesso na área dos desportos eletrónicos (eSports).

De referir ainda que podemos criar partidas online privadas, onde temos a oportunidade de treinar ou passar momentos bem divertidos com um grupo de amigos. 

A juntar à jogabilidade bastante intensa e divertida, Rocket League tem a seu favor os vários elementos de personalização de veículos. Ao longo do jogo e à medida que vamos subindo de nível, vamos desbloqueando novos veículos, para além de pinturas, o rasto deixado pelo rocket, antenas e outros elementos (muitos deles inspirados noutros videojogos) que nos permitem personalizar cada um deles. Existem ainda os DLC's que que nos permitem utilizar carros icónicos, como é o caso do DeLorean do filme "Regresso ao Futuro" ou o Batmobile de "Batman vs. Superman".

 

Gráficos e Som

Os gráficos de Rocket League são, de um modo geral, extremamente apelativos. Não os podemos comparar a qualquer outro jogo de desporto moderno, como FIFA 16 ou PES 2016, até porque a Psyonix optou por fugir a qualquer aspeto que se pareça com a realidade. Tudo no jogo, desde os cenários aos veículos que controlamos, é apresentado num estilo bastante colorido e animado, embora com muitos detalhes e elementos visuais.

Vários cenários, desde representações de jardins de palácios a estádios de futebol, servem de palco para as partidas de Rocket League, onde a atmosfera fica marcada pela multidão que reage a cada jogada e abana as bandeiras no apoio à sua equipa.

Mas os principais intervenientes no jogo são mesmo os veículos. Neste campo, encontramos uma grande variedade de veículos, cada um com caraterísticas e visuais únicos que, apesar de terem sido inspirados em veículos reais, apresentam um aspeto bem mais futurista. Para além disso, o forte componente de personalização, ajuda a tornar cada veículo único, criado à imagem de cada jogador.

Em relação ao som, podemos afirmar que se apresenta num excelente nível, embora os gostos de cada um possam dizer o contrário. A banda sonora, composta maioritariamente por temas de música eletrónica, ajusta-se na perfeição ao jogo em questão e acabam por ficar no ouvido. O mesmo podemos dizer em relação aos efeitos sonoros que encontramos nas partidas, por serem bastante variados e envolventes, ajudam a compor o ambiente.


Imagens


Conclusão

Rocket League não é, nem tenta ser, um jogo que se pareça com qualquer desporto que exista na vida real. Embora se possa parecer com futebol, onde os carros assumem o papel de jogadores, a ausência de regras, as caraterísticas de cada veículo, e o comportamento da bola aliado às leis da física, tornam este jogo bastante intenso e empolgante.

Com uma jogabilidade simples de aprender mas difícil de dominar, gráficos bastante diversificados e apelativos e um forte componente de personalização, Rocket League tem a capacidade de nos deixar facilmente "viciados".

Sobre o autor
Hélio Duarte
Author: Hélio DuarteWebsite: http://pcgaming.pt
Colaborador
Apaixonado por tecnologia e grande entusiasta de jogos no PC e XBox One, o Hélio é o grande responsável pelo sucesso do portal PCGaming.pt.

Classificação

Ótimo
"Rocket League tem a capacidade de nos deixar facilmente viciados"
8,5
  • 8Gráficos
  • 8Som
  • 9Jogabilidade
  • 9Nível de Envolvência
  • Comentários

    comments powered by Disqus
    Newsletter
    Newsletter
    Usamos cookies para lhe dar a melhor experiência online. Ao usar o nosso website, está a concordar com o uso dos nossos cookies em concordância com a nossa política de privacidade. Saiba mais aqui.