Google+
Especial
Obter para Microsoft
catid=122
Escrito por Luciano Patrão a 5 Ago. 2015

Depois de uma pausa para umas merecidas férias de Verão, voltamos aos artigos de Virtualização aqui no Wintech.

 

Depois da criação das nossas redes virtuais e Datastores (espaço em disco no ESXi) e para alojar as nossas Maquinas Virtuais (VMs) ficamos assim já com a infraestrutura necessária para a criação de VMs, iremos neste artigo focar-nos na criação de VMs e numa descrição completa das suas características, configurações, etc. Este é um artigo com duas partes, esta é parte 1.

 

 

A criação da VM não é difícil e apenas uns simples cliques e temos uma nova VM. Devemos sim compreender como funciona, as suas características, configurações e iremos passar isso ao pormenor.

 

Iremos igualmente no artigo instalar um sistema operativo na VM. Neste exemplo iremos instalar uma VM Linux RedHat 64bits. Visto que não necessita de muita memória, nem de espaço em disco (Datastore) para instalar (e o nosso ESXi de testes não tem muita memoria, nem muito espaço em disco para podermos criar por agora VMs com mais requisitos).

 

 

Vamos novamente usar e nos conectar ao nosso ESXi com o vSphere Client tool, tal como foi explicado no artigo anterior.

 

 

 

Criação

 

Podemos usar o menu no canto superior esquerdo para escolher a opcao de criar nova VM(File -> New -> Virtual Machine) – Ou usar as teclas Ctrl + N.

 

Podemos igualmente so clicar lado direito do rato em cima do noss host(ESXi) e escolher a opcao(tal como mostra a imagem seguinte)

 

 

Inicialmente o ESXi temos a opção de uma instalação Typical, ou Custom.

 

Como não iremos fazer grandes configurações (aprenderemos isso mais tarde) a opção Typical serve para este exemplo.

 

 

 

Vamos dar um nome à nossa VM. No nosso caso será VM-001.

 

Nota: É importante que escolhamos bem o nome da nossa VM. Alterar mais tarde vai alterar apenas o nome da VM e não os seus ficheiros.


Quando se cria uma VM, o ESXi cria uma directoria com todos os ficheiros (dentro do ESXi) com o nome da VM (exemplo: vm-001.vmx, VM-001.vmdk, etc.).

 

Quando mudamos o nome da VM (depois de criada) apenas altera o nome da VM no ESXi, não altera o nome dos ficheiros. Que ficarão com o nome antigo. Quando temos 1 ou 2 VM não tem problemas, mas quando temos milhares e queremos encontrar uma VM no Datastore é praticamente impossível se não sabemos o nome original.

 

É possível alterar o nome da VM e os ficheiros facilmente, mas isso precisa de passos adicionais. Mas apenas é possível tendo vMotion e vStorage activo (e para isso é necessário termos um vCenter, que iremos falar e instalar mais tarde). Assim sendo, devemos apenas alterar o nome da VM depois de criada em caso mesmo necessário.

 

Para uma melhor clarificação de cada ficheiro de configuração da VM, podem consultar aqui o que representa (por extensão) cada ficheiro e o que faz: File Extension.

 

 

 

A seguir iremos escolher onde iremos alojar a nossa VM (escolher o Datastore).

 

Como se devem lembrar no artigo anterior tínhamos 2 Datastores (datastore01, criado pelo sistema, e o VMs-Datastore-02 que criamos para alojar as futuras VMs).

 

Assim sendo vamos escolher o Datastore que criamos para alojar a nossa nova VM.