A Activision, provavelmente “picada” pelo bem sucedido jogo “BattleField 1”, da EA, volta ao “velho e apetecível tema” da Segunda Grande Guerra Mundial com o lançamento de um novo titulo de “Call of Dutty”, falamos de “Call of Dutty:WWII”.

Este titulo leva-nos de volta às origens da franquia Call of Dutty, tendo dessa forma a Activision abandonado os cenários futuristas e as historias pouco reais existentes das edições anteriores. Apesar de ser “mais do mesmo” a verdade é que a segunda guerra mundial será sempre o ponto forte de “Call of Dutty” e que transporta consigo as melhores recordações dos tempos das queridas consolas PlayStation 2.

História

Call of Duty: World War II (também conhecido como Call of Duty: WWII) é, com não poderia deixar de ser, um FPS produzido pela empresa Sledgehammer Games e que é, mais uma vez, distribuído pela Activision para PlayStation 4, Xbox One e M. É o primeiro jogo da série Call of Duty baseado na Segunda Guerra Mundial desde Call of Duty: World at War em 2008.

Call of Duty: WWII foca-se nas ações de um esquadrão de 1944 a 1945 no campo de batalha europeu, enquanto as forças Aliadas começam a ganhar enquanto se dirigem à Alemanha.

 

Grafismo e Som

Os gráficos apresentados por este “Call of Dutty:WWI”I estão bastante bons, com um nível de detalhe muito grande. Testado numa PS4 normal, o jogo consegue detetar a presença de um equipamento (TV) dotado da tecnologia HDR permitindo assim ao jogador escolher entre varias opções de qualidade de imagem. Acreditamos que na versão PS4 Pro, o4Kseja uma mais valia para oferece uma melhor resolução.

No que diz respeito ao som, não temos nada a apontar, seja na utilização de uns bons Headphones Tritton 7.1 ou um sistema Surround temos acesso a uma experiência de jogo mais intensa e envolvente.

 

Jogabilidade

Neste campo, e tal como é usual nesta franquia, “Call of Dutty:WWII” mantêm-se fiel aos antecessores, não apresentando novidades. Talvez por estarmos habituados a esta franquia, achámos que o jogo é de execução fácil no modo normal. Talvez nos modos superiores, o nível de exigência seja maior e que, como consequência, por exemplo, acertar nos inimigos possa ser um pouco mais difícil.

Durante o modo de historia detetámos algumas falhas, sendo que um dos exemplos mais flagrantes passou por vermos um dos nossos companheiros de batalha ser alvejado durante largos minutos (sim deixámos ficar para ver até onde ia) sem que nada lhe tivesse acontecido.

 

Modo de Jogo

Apesar de ter uma duração relativamente curta (cerca de 6 horas), o modo Single Player, destacando-se o facto de podermos recuperar vida com os Health Packs que podemos encontrarao longo do cenário de guerra ou, em casos mais extremos, pedindo ao nosso companheiro de armas mais próximo.

No que diz respeito ao armamento, este não foge muito do que já existia durante a segunda grande guerra mundial deixando para traz as armas futurísticas e totalmente irreais dos jogos anteriores desta franquia, e que, sejamos sinceros, já se tornava um pouco cansativo.

A aventura começa, como já seria de esperar,entre 1944 a 1945 na Europa,enquanto as forças aliadas começam a abrir caminho para a Alemanha Nazi. com o dia D, ou seja, no desembarque realizado na Normandia, tendo como dois jogadores da primeira divisão de infantaria, o soldado Ronald “Red” Daniels e o soldado Robert Zussman.

O vídeo de abertura, e que surge mesmo antes de começarmos a jogar, esta simplesmente espetacular. Neste vídeo podemos contar com o ator JoshDuhamel, conhecido pelos filmes Transformers, que veste a pele de Sargento William Pierson, o condutor de todas as missões.

O modo Multiplayer é sem duvida o que mais atenção foi dada, já que o foco é dirigido mesmo para o jogo online, tal, como não podia deixar de ser, o combate Multiplayer este mais focado na época em que jogamos, logo para os mais puristas do jogo, torna-se um ponto a favor. 

Temos também um modo “Zombie”. Este modo é muito similar ao já existente nas versões anteriores, que, recordamos, é nos dado um mapa gigantesco para explorar e a medida que vamos matando zombies vamos também ganhando a oportunidade de desbloquear novas partes do mapa e comprar novo armamento. Os zombies atacam quase sempre em conjunto e a finalidade é cumpri determinados pontos dentro do mapa e sobreviver a esses “raids” Zombie.

 

Conclusão

O facto de voltar as origens não quer dizer que seja mais do mesmo, “CoD:WWII” é um novo jogo com novas personagens e novas missões que, aliando ao facto dos gráficos estarem cada vez mais próximos da realidade, eleva a fasquia para o que possa advir no futuro.

Apesar de possuir algumas falhas torna-se um jogo agradável, embora curto, e que nos deixa desejosos de ter mais missões.

Na senda de jogos que temos testado nos últimos meses este é sem duvida um dos mais aguardados.

Durando apenas seis horas, consideramos que o jogo vale cada cêntimo, sendo sem dúvida, um dos shooters mais interessantes desde o “ModernWarfare”.

Classifique este item
(0 votos)
Ler 297 vezes Modificado em Nov. 25, 2017

Itens relacionados

Deixe um comentário

Sobre nós

Nascida em 2002, a Wintech é uma pagina web que reúne informações sobre tecnologia. Apresenta regularmente guias, análises, reportagens e artigos especiais de tudo o que rodeia o mundo tecnológico.

O nome Wintech surge com o objetivo de apresentar conteúdos relacionados com o Windows (Win) e também com tecnologia (tech).

Ultimos comentários

Newsletter

Receba as notícias no seu e-mail

Top