Temos de voltar a julho de 2013 para recordar a análise a “Injustice - Gods Among Us” onde,  na altura, considerámos que “a história, os efeitos sonoros, a riqueza de atributos colocados nas personagens torna este jogo extremamente viciante e duradouro”. Passados 4 anos, a sequela está de regresso com “Injustice 2”. O selo é o mesmo, ou seja, a responsabilidade de produção é da NetherRealm Studios, os mesmos estúdios da mítica série de jogos “Mortal Kombat”.

 

Este titulo, tal como o antecessor, contem a mesma receita “porrada com fartura” para todos os gostos e onde as personagens da DC Comics dão alento aos fãs, tanto ao nível do estilo de jogo, como ao nível das personagens.

 

A História

Comecemos pela historia, e aqui somos transportados na “maquina do tempo” até á altura em que, como finaliza “Injustice – Gods Amoug Us”, temos o Super-Homem preso por ter cometido crimes contra a Humanidade e onde temos de vestir a pele de Batman e da sua nova equipa para repor a tranquilidade no mundo e, ao mesmo tempo, defendê-lo de todo o tipo de ameaças.

É precisamente aqui que tudo acaba por começar com o surgir de um novo grupo de inimigos, denominado “The Society”, que é liderado por Gorilla Grodd e que tem na sua equipa diversos vilões sobejamente conhecidos como é o caso do Captain Cold e Deadshot. O objetivo, com não poderia deixar de ser, é conquistar o mundo.  Por outro lado, temos um outro vilão, Brainiac, destruidor do planeta Krypton, e que tem como principal alvo acabar com “raça” do Super-Homem para que, dessa forma, consiga juntar o planeta Terra à sua extensa coleção de conquistas…

 

 

Jogabilidade

A jogabilidade de “Injustice 2” mantem-se, ou seja, os combates são, sem duvida, o ponto forte que, apesar de manterem a presença de algumas das personagens que constaram em “Injustice – Among God of Us” acabaram por sofrer um refresh sendo agora dotadas de movimentos mais rápidos e fluidos assim como novas formas de ataque. De notar que a NetherRealm Studios quis simplificar a forma como se joga, sendo que, nesta nova historia de “Injustice”, o jogador é levado a pressionar menos botões do que fazia no titulo antecessor, representando assim maior facilidade em aplicar golpes e dando, ao mesmo tempo, uma maior diversão a quem joga.

As mecânicas do jogo são semelhantes ao que era feito no primeiro titulo, com a novidade do jogador poder trocar a barra de “poder” por novos ataques especiais, habilidades ou até mesmo um pouco de “folego”.

A destacar a possibilidade de as personagens poderem interagir com os elementos no cenário podendo usá-los para atacar ou, simplesmente, para se salvaguardar de ataques do inimigo.

 

 

 

 “Injustice 2” possui vários modos de jogo além da tradicional campanha e onde se destaca o Multiverso, modo de jogo onde o jogador se depara com desafios diários e semanais e onde o objetivo passa por derrotar uma série de adversários num determinado tempo e onde só os melhores (ou mais habilidosos) podem chegar mais longe. Como seria de esperar, estes combates vão permitir ao jogador conquistar créditos para o seu Gear. O recurso “Gear System” é um sistema que permite aos jogadores trocarem os créditos obtidos nas lutas, ou seja, sempre que vence é gerado um determinado numero de créditos que depois podem ser trocadas para obter itens, como roupas, equipamentos para personalizar a personagem ou até mesmo adquirir novas habilidades.

Esta opção permite assim ir alimentando o jogo e ao mesmo tempo garantir uma maior longevidade e atividade do titulo.

 

 

 

Gráficos e Som

Em termos gráficos, “Injustice 2” está muito bem conseguido, com os super-heróis da DC Comics bem desenhados e com um alto nível de detalhe.

As expressões faciais obtidas nas transições da ação de campanha são soberbas e chegam mesmo, em algumas cenas, a apresentar um nível de realidade fantástico.

As arenas de combate são fantásticas e interessantes apresentando bastantes pormenores e onde, como referimos, é possível interagir com os elementos lá presentes dando ainda maior enfase a todo o ambiente e jogabilidade.

 

Mobile

 

A NetherRealm Studios adicionou ainda a este titulo um jogo para dispositivos móveis, algo que a empresa pretende assim continuar a cativar (e a viciar) os jogadores e fãs das personagens DC. Em termos práticos, o jogo para Android e iOS, é uma versão simplificada deste jogo de “porrada” e que, quanto a nós, nos parece muito bem-vinda, pois cada vez mais os utilizadores (e jogadores) sentem a necessidade interagir entre multiplataformas, seja eles computadores, consolas ou dispositivos móveis.

 

Conclusão

“Injustice 2” é um dos melhores jogos de “porrada” que existe para consolas, contando com uma melhoria na jogabilidade, ótimos gráficos e conteúdos de personalização mais que suficientes para alimentar o jogo tanto online como offline.

O sistema de recompensas é uma excelente ideia, ainda assim precisa de ser alvo de melhorias, algo que poderá ser, certamente, corrigido em “Injustice 3”.

 

Classifique este item
(1 Vote)
Ler 486 vezes Modificado em Ago. 03, 2017

Deixe um comentário

Sobre nós

Nascida em 2002, a Wintech é uma pagina web que reúne informações sobre tecnologia. Apresenta regularmente guias, análises, reportagens e artigos especiais de tudo o que rodeia o mundo tecnológico.

O nome Wintech surge com o objetivo de apresentar conteúdos relacionados com o Windows (Win) e também com tecnologia (tech).

Ultimos comentários

Newsletter

Receba as notícias no seu e-mail

Top