Num momento em que os CEOs e as administrações das empresas exigem uma rápida transformação para modelos comerciais digitais, um estudo mundial publicado pela Commvault, líder mundial em backup empresarial, recuperação, arquivamento e cloud, e a Quadrant Strategies, expõe uma diferença alarmante entre as expectativas dos executivos e a preparação real das organizações de TI.

O estudo "Measuring IT's Readiness for Digital Business", baseado num inquérito realizado junto de 1.200 executivos de TI e pessoal de TI em seis mercados empresariais mundiais, revela que muitos responsáveis de topo reconhecem a necessidade de poder liderar as suas empresas através de soluções de transformação digital, enquanto o pessoal de TI sente que carecem do conjunto de valências, tecnologia e largura de banda necessários para criar a base centrada nos dados indispensável para essa alteração digital e inovação futura.

À medida que as organizações públicas e privadas evoluem na sua transformação em negócios digitais modernos, está a ocorrer uma alteração fundamental no mercado de TI, que passa de uma abordagem centrada na infraestrutura para uma estratégia centrada nos dados. Esta realidade é ainda acelerada pela migração para ambientes de clouds múltiplas, com o objetivo de prevenir e recuperar melhor de ciberataques, cumprir as novas regulações de privacidade de dados e usar a analítica para gerar melhores perspetivas de negócio.

Os resultados do estudo “Measuring IT’s Readiness for Digital Business” demonstram que, com esta alteração, também se está a adotar uma abordagem mais holística na estratégia e na gestão dos dados para impulsionar a inovação e a diferenciação competitiva. Entre as conclusões-chave deste estudo, estão:

  • A importância dos dados: mais de 50% dos inquiridos dizem que "uma melhor recolha e gestão dos dados" e "novas ferramentas para analisar dados cada vez mais sofisticados" são essenciais para o êxito futuro do seu negócio.
  • Falta de acesso aos dados: mais de 60% dos inquiridos, incluindo executivos de TI e pessoal de TI, pensam que têm acesso a menos de metade dos dados das suas organizações.
  • Falha de perceção: enquanto 41% dos executivos acreditam que as suas organizações entendem e estão preparadas para a inovação (um número surpreendentemente baixo), só 29% do pessoal de TI acreditam o mesmo. Além disso, mais de um terço do pessoal de TI pensa que os executivos se sentiriam preocupados, ansiosos ou mesmo em pânico se soubessem mais sobre o seu departamento de TI, enquanto outros 16% afirmam que estes se sentiriam até descontentes, enojados ou desgostosos.
  • Falta de largura de banda: a maioria dos executivos de TI prioriza as operações diárias em detrimento da inovação, e o pessoal de TI segue o seu exemplo.
  • Falta de capacitação: mais de 50% do pessoal de TI acredita que os seus papéis mudarão radicalmente e que necessitarão de adquirir novas valências para continuarem a ser relevantes.
  • Falta de tecnologia: mais de dois terços dos inquiridos acreditam que as suas organizações não estão preparadas para migrar dados para a cloud, proteger esses dados ou reunir todos os dados da empresa.
  • Falta de compromisso para pôr em prática a visão: mais do 40% das empresas ainda não contam com um plano formal e proactivo para a transformação digital.

"O nosso estudo revela uma concordância quase universal sobre a importância de administrar os dados de forma eficaz para inovar e conseguir a base necessária para criar um negócio digital e melhorar a experiência do cliente", sublinha N. Robert Hammer, presidente e CEO da Commvault. "Entretanto, todos os dias vemos evidências de empresas líderes e CIOs progressistas que se movem rapidamente para desenvolver capacidades de gestão de dados muito sofisticadas, proporcionando as ferramentas, o tempo e a capacitação de que as suas equipas necessitam para ter sucesso".

A transformação digital já não é uma opção. As organizações devem transformar-se ou morrer. Por exemplo, os estudos demostram que as empresas que utilizam conhecimentos baseados em dados para tomar decisões estratégicas melhoraram a sua produtividade em até 33%. Entretanto, as empresas progressistas, como a Schneider Electric e a Great-West Financial, que transformaram os seus modelos de negócio, planearam cuidadosamente o seu futuro, remodelando as indústrias em que estão inseridas. O vínculo entre estas empresas e o dos CEOs e CIOs progressistas é que souberam reconhecer que uma visão sobre a transformação digital não é suficiente. Em vez disso, permitiram que as suas organizações de TI, através de novos conjuntos de valências e ferramentas, criassem uma base centrada nos dados que apoiasse as suas operações mais rentáveis, enquanto proporcionassem conhecimentos empresariais mais profundos e a agilidade suficiente para suportar novas ideias radicais e novas aplicações para fazer negócios com os seus clientes.

"Este estudo mostrou-nos o que os executivos e o pessoal de TI pensam sobre a transformação digital e os desafios a que os departamentos de TI terão que fazer frente nos próximos anos. Os resultados foram notavelmente consistentes em todo o mundo, o que reforça a ideia de que a transformação digital não conhece fronteiras", afirma Afshin Mohamadi, sócio da Quadrant Strategies. "Os sinais de advertência são muito claros: embora os departamentos de TI estejam destinados a liderar negócios digitais, a verdade é que não estão equipados para o fazer. O pessoal de TI tem dúvidas significativas sobre a sua capacidade de serem os agentes da mudança. A falta de valências, tecnologia e largura de banda conduzirá diretamente a outros desafios competitivos".

Realizada em outubro de 2017, o estudo "Measuring IT's Readiness for Digital Business", consultou 450 executivos de TI e 750 profissionais de TI distribuídos uniformemente entre o Canadá, França, Alemanha, Japão, Irlanda, Reino Unido e Estados Unidos.

Mais detalhes sobre o estudo podem encontrar-se aqui.

Classifique este item
(0 votos)
Ler 138 vezes Modificado em Nov. 23, 2017

Deixe um comentário

Sobre nós

Nascida em 2002, a Wintech é uma pagina web que reúne informações sobre tecnologia. Apresenta regularmente guias, análises, reportagens e artigos especiais de tudo o que rodeia o mundo tecnológico.

O nome Wintech surge com o objetivo de apresentar conteúdos relacionados com o Windows (Win) e também com tecnologia (tech).

Ultimos comentários

Newsletter

Receba as notícias no seu e-mail

Top