Google+
Obter para Microsoft
catid=82
Escrito por João Fernandes a 19 Mar. 2017

Quantas apps tem no seu dispositivo móvel e quão regularmente faz atualizações? Sabe que os seus dados podem estar a ser partilhados por terceiros e que está a por informação importante em risco? Como é que está a tratar a sua “casa” digital? O digital clutter está a aumentar devido a uma utilização excessiva das aplicações e aos progressos na capacidade de armazenamento dos dispositivos, mas a fraca manutenção destas aplicações deixa os dispositivos vulneráveis a ameaças de segurança. Um novo relatório elaborado pela Kaspersky Lab mostra o problema do digital clutter entre os utilizadores de Internet mundialmente e revela que Portugal está relativamente saudável a este nível.

 

 

O estudo revela que 62,5 % dos portugueses admite atualizar as suas apps e sistemas operativos de acordo com as recomendações do utilizador. Entre os países analisados, Portugal ocupa o primeiro lugar nos cuidados a este nível.

 

A nível global, há uma tendência para se acumular apps nos telemóveis ainda que muitas vezes não sejam necessárias. Entre os inquiridos, os utilizadores instalam 12 apps Android cada mês e apenas apagam 10. Em Portugal, esse número cresce para 18 apps instaladas por mês – em telefone, tablet ou computador. Com mais aplicações instaladas nos dispositivos, o volume de armazenagem fica condicionado e a gestão das mesmas é bastante importante no sentido de prevenir o digital clutter. Além disso, descobrimos que apenas 54,4% dos utilizadores portugueses revê com regularidade os conteúdos que tem no seu dispositivo e apaga documentos e aplicações que já não utiliza.

 

As conclusões a que se chegou são parte de um novo relatório elaborado pela Kaspersky Lab chamado “Digital Clutter e os seus perigos”. O estudo é baseado num insight conseguido através de uma combinação única de um inquérito online com a participação de mais de 16 mil pessoas em 17 países (Portugal, Espanha, Holanda, República Checa, Hungria, Turquia, Israel, Japão, México, Colômbia, Brasil, EUA, Rússia, EAU, Índia, Indonésia e Vietname), uma análise estatística feita pelo Kaspersky Security Network (KSN), e de uma experiência em torno da performance das aplicações elaborada pelos analistas internos da Kaspersky Lab.

 

O aumento do digital clutter significa que a limpeza e o update das aplicações são agora mais importantes do que nunca para o combate ao malware que se aproveita das vulnerabilidades das aplicações para entrar nos dispositivos. Embora o inquérito identifique que num quarto dos casos (28%) os utilizadores façam o update das suas aplicações apenas quando são obrigados, e 10% admita não as fazer de todo, os portugueses estão abaixo da média (só 3,3%).

 

Um dos maiores perigos é o facto de as próprias aplicações poderem colocar os dados e o dispositivo do utilizador em risco devido às suas atividades diárias. Resultados técnicos a partir da Kaspersky Lab mostram que de 100 aplicações para utilizadores Android (i.e. instalar e apagar), 83 têm acesso a dados sensíveis do utilizador, como contactos, mensagens e dados, e conseguem ainda fazer telefonemas e enviar SMSs.

 

Resultados adicionais a partir do KSN mostram que as aplicações podem operar sem a permissão do utilizador. Em média os utilizadores têm 66 aplicações nos seus dispositivos Android. Quando uma amostra representativa de 66 das aplicações mais populares para Android foram testadas, 54 foram iniciadas em segundo plano sem que os utilizadores sequer lhes tocassem, consumindo, em média, 22Mb de tráfego por dia sem qualquer interação.

 

As definições das aplicações dão aos utilizadores um grau de controlo sobre a que é que estas podem aceder e ao tipo de interatividade que podem ter com o dispositivo. Contudo, o inquérito mostrou que apenas 40,1% dos utilizadores portugueses ajustam intencionalmente as definições de cada uma das aplicações que têm instaladas nos seus dispositivos - ainda assim, o único país que tem uma percentagem superior à de Portugal é o Brasil (40,7%). Por outro lado, apenas 27,8% dos utilizadores portugueses afirmam recusar instalar aplicações no caso de não estarem satisfeitos com o conteúdo das licenças.

 

Alfonso Ramírez, Diretor Geral da Kaspersky Lab Ibéria comenta: “Os utilizadores expõem os seus dispositivos e dados pessoais a ameaças de segurança, falhando em medidas simples de proteção dos seus dispositivos como limpar e fazer o update de software e aplicações, ajustar as definições, e desinstalar outras que já não usam. A criação do digital clutter nos seus dispositivos mostra que a manutenção destas aplicações está a ser negligenciada. A verdade é que corremos um grande risco: pode haver falhas nos dispositivos, problemas com bateria ou infeção por malware. As aplicações têm acesso a alguns dos dados mais sensíveis e pessoais que temos nos nossos dispositivos e os utilizadores desconhecem muitas vezes que esta informação está a ser partilhada. Nós alertamos os utilizadores para que ponham as suas casas digitais em ordem. Tal como a limpeza do quarto, um computador ou smartphone livres resultam numa experiência mais agradável e, sobretudo, e segura.”

 

Com o objetivo de combater o clutter e proteger os dados pessoais, a Kaspersky Lab aconselha os utilizadores a seguirem as seguintes medidas:

  • Perceber o que está armazenado onde – tirar um tempo para olhar para os dispositivos e analisar que informações estão armazenadas em que aplicações e ficheiros nos dispositivos;
  • Limpar o dispositivo – passar algum tempo a organizar a casa digital e analisar com regularidade que informação está armazenada nos dispositivos;
  • Updates de Aplicações e Software – devem ser realizados updates regularmente, assim que novas versões são disponibilizadas;
  • Utilizar um Software específico – por exemplo, os software cleaners como os que estão integrados no leque de soluções de segurança da Kaspersky Lab, fazem uma pesquisa por todas as aplicações instaladas nos dispositivos e marcam aqueles que podem representar potenciais riscos ou que são raramente utilizados.
Sobre o autor
João Fernandes
Author: João Fernandes
CEO da Wintech
Apaixonado pela tecnologia e tudo o que a rodeia, é o redator e responsável pelos conteúdos do site.

Comentários

comments powered by Disqus
Newsletter
Newsletter
Usamos cookies para lhe dar a melhor experiência online. Ao usar o nosso website, está a concordar com o uso dos nossos cookies em concordância com a nossa política de privacidade. Saiba mais aqui.